Search
Entrar
Museus » Museu de Fotografia da Madeira – Atelier Vicente’s
Informação Útil
Tutela: 
Direção Regional da Cultura

Morada: 
Rua da Carreira, 43
9001–904 Funchal
Telefone: 
(351)291 145 325
Fax: 
E-mail: 
Website: 

Horário:
Terça a sábado das 10h00 às 17h00. Sem interrupção para almoço. Encerrado domingo e segunda.

Ingressos:
Até o final de setembro a entrada é gratuita.

Como chegar:
O museu encontra-se localizado no centro da cidade do Funchal, não necessitando de transportes.
 
   Photographia-Museu Vicentes
1º Carro na Madeira de Mr. Foster (1904)

O Museu de Fotografia da Madeira - Atelier Vicente's encontra-se instalada no antigo “studio” de Vicente Gomes da Silva, à Rua da Carreira.

Vicente Gomes da Silva inicia a sua atividade profissional como gravador, em 1848, na Praça de São João.

A 27 de abril de 1853, Vicente Gomes da Silva (1827-1906) recebe a mercê de “gravador de Sua Majestade a Imperatriz do Brasil, Duquesa de Bragança”, viúva de D. Pedro IV, Rei de Portugal e primeiro Imperador do Brasil.

Em 1856, inicia a “arte de fotografar”, na sua casa de residência à Rua de João Tavira, passando mais tarde para a Rua da Ponte Nova.

Em 1860, a Imperatriz Elizabeth D’Aústria (1837–1898), “Sissi”, visita a Ilha da Madeira, pela primeira vez, e é fotografada por Vicente Gomes da Silva. Tendo este sido agraciado, em 1866, com o título de “Photographe de Sa Majesté I’Impératrice d’Austriche”.

A 27 de maio de 1865, Vicente Gomes da Silva adquire o imóvel à Rua dos Pintos, atual Rua da Carreira. Aí, fixa a sua residência e constrói nos jardins o seu atelier fotográfico. Paralelamente à fotografia, Vicente Gomes da Silva desenvolve outras atividades, nomeadamente, gravação, encadernação, marcenaria, tipografia e fundição.

Entre dezembro de 1886 e agosto de 1887, Vicente Gomes da Silva e seu filho Vicente, desenham e ampliam o antigo atelier, edifício que se mantém até hoje e onde está instalado o Museu.

Em 1901, os Reis de Portugal, D. Carlos de Bragança (1863-1908) e a Rainha D. Amélia (1865-1951), visitam a Ilha da Madeira, sendo fotografados por Vicente Gomes da Silva, Júnior, que é agraciado com o título de “Photographo da Casa Real Portuguesa”, conforme carta régia datada de 1903.

Ao longo dos anos passariam por este “Atelier” as quatro gerações de Fotógrafos da Família “Vicente”:

 
•  Vicente Gomes da Silva, Sénior, n.1827 – m.1906
    Exerceu a sua atividade comercial entre 1848 e 1906
 
•  Vicente Gomes da Silva, Júnior, n.1857 – m.1933
    Exerceu a sua atividade comercial entre 1875 e 1933
 
•  Vicente Ângelo Gomes da Silva, n.1881 – m.1954
    Exerceu a sua atividade comercial entre 1918 e 1954
 
•  Vicente Bettencourt Gomes da Silva, n.1902 – m.1960
    Exerceu a sua atividade comercial entre 1930 e 1960
 
•  Jorge Bettencourt Gomes da Silva, n.1913 – m.2008
    Exerceu a sua atividade comercial entre 1933 e 1979
 
Em 1972, o espólio da Photographia Vicente é vendido a uma entidade privada.
A 13 de junho de 1979, o Governo Regional da Madeira adquire todo o acervo do “studio Vicente”, que inclui cenários, máquinas fotográficas, mobiliário de atelier e 400 mil negativos, a maior parte em “chapa de vidro”, devidamente catalogados em 47 livros, datados entre 1884 e 1978, e onde se registou todo o trabalho realizado pelas Quatro Gerações dos “Vicentes”.

A 22 de março de 1982, o “studio Vicente” abre ao público como Museu, passando a designar-se – Photographia – Museu “Vicentes”.

O imóvel onde está instalada a Photographia – Museu “Vicentes” foi classificado como património de “valor cultural regional” pela Resolução n.º 78/91 de 24 de janeiro, com conversão efetuada pela Portaria n.º 34/2004 de 1 de março, de “imóvel de interesse público”.

Desde a abertura ao público, em março de 1982, que a Photographia – Museu “Vicentes” tem recebido doações, nomeadamente, de máquinas fotográficas, antigos álbuns fotográficos, molduras com fotos, livros e catálogos de material fotográfico, filmes com documentários para Cinema, que veem a serem integrados no acervo do Museu.

 

Atualmente, o Museu possui cerca de 800 mil negativos, provenientes não só da coleção Vicente, como também de outros fotógrafos profissionais e amadores: João António Bianchi (Visconde Vale Paraíso) (1862–1928); Major Charles Courtnay Shaw (1878–1971); Gino Romoli (1906–1982); Aluízio César Bettencourt (1838-?) ou João Francisco Camacho (1833-1898) (em estudo a autoria das imagens); Perestrellos Photographos; Augusto João Soares; Francisco João Barreto (?-1934); Álvaro Crawford Nascimento Figueira (1885–1967); Alexander Lamont Henderson (1838–1907); Joaquim Augusto de Sousa (1853–1905); João Anacleto Rodrigues (1869–1948); Foto Figueiras; Foto Arte; Foto Joaquim Figueira; Russel Manners Gordon (3.º Visconde e 1.º Conde Torre Bela) (1829–1906); Artur Campos; Carlos Fotógrafo; Alberto Camacho Brandão (1884–1945); Foto Sol (de 1951 a 1980).

Em 2000, foi depositado no Museu o material audiovisual da Direção Regional do Turismo/Secretaria Regional do Turismo e Transportes, coleção que inclui filmes – documentários – da autoria de: Helder Mendes, João Pestana, António de Sousa, Luís Cabrita, entre outros.

 

Atualmente o acervo da Photographia – Museu “Vicentes” inclui Fotografia e Cinema.
 

A Photographia – Museu “Vicentes” não possui serviços educativos, mas realiza visitas guiadas a escolas com marcação prévia.

O museu possui pequena loja.

<novembro>
domsegterquaquisexsáb
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
 
Destaques

Get Adobe Flash player Install latest flash player if you can't see this gallery, or click here to see the html version.

Notícias

 

Conteúdos: Direção Regional da Cultura

 
 
Secretaria Regional do Turismo e Cultura / Direção Regional da Cultura