Search
Entrar
Museus » Photographia-Museu Vicentes
Informação Útil
Tutela: 
Direção Regional da Cultura

Morada: 
Rua da Carreira, 43 – 1º
Apartado 348
9001–904 Funchal
Telefone: 
(351)291 225 050
Fax: 
(351)291 228 724
E-mail: 
Website: 

Horário:
Segunda a Sexta das 10h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h00
Encerrado aos Sábados, Domingos e Feriados

Ingressos:
Normal: 3.00 €
3ª Idade: 1,50 €
Cartão-Jovem: 1,50 €
Grupos (+ de 6 pessoas): 2,50€ (p/pessoa)

Como chegar:
O museu encontra-se localizado no centro da cidade do Funchal, não necessitando de transportes.
 
   Photographia-Museu Vicentes
1º Carro na Madeira de Mr. Foster (1904)

A Photographia - Museu “Vicentes” encontra-se instalada no antigo “studio” de Vicente Gomes da Silva, à Rua da Carreira.

Vicente Gomes da Silva inicia a sua atividade profissional como gravador, em 1848, na Praça de São João.

A 27 de abril de 1853, Vicente Gomes da Silva (1827-1906) recebe a mercê de “gravador de Sua Majestade a Imperatriz do Brasil, Duquesa de Bragança”, viúva de D. Pedro IV, Rei de Portugal e primeiro Imperador do Brasil.

Em 1856, inicia a “arte de fotografar”, na sua casa de residência à Rua de João Tavira, passando mais tarde para a Rua da Ponte Nova.

Em 1860, a Imperatriz Elizabeth D’Aústria (1837–1898), “Sissi”, visita a Ilha da Madeira, pela primeira vez, e é fotografada por Vicente Gomes da Silva. Tendo este sido agraciado, em 1866, com o título de “Photographe de Sa Majesté I’Impératrice d’Austriche”.

A 27 de maio de 1865, Vicente Gomes da Silva adquire o imóvel à Rua dos Pintos, atual Rua da Carreira. Aí, fixa a sua residência e constrói nos jardins o seu atelier fotográfico. Paralelamente à fotografia, Vicente Gomes da Silva desenvolve outras atividades, nomeadamente, gravação, encadernação, marcenaria, tipografia e fundição.

Entre dezembro de 1886 e agosto de 1887, Vicente Gomes da Silva e seu filho Vicente, desenham e ampliam o antigo atelier, edifício que se mantém até hoje e onde está instalado o Museu.

Em 1901, os Reis de Portugal, D. Carlos de Bragança (1863-1908) e a Rainha D. Amélia (1865-1951), visitam a Ilha da Madeira, sendo fotografados por Vicente Gomes da Silva, Júnior, que é agraciado com o título de “Photographo da Casa Real Portuguesa”, conforme carta régia datada de 1903.

Ao longo dos anos passariam por este “Atelier” as quatro gerações de Fotógrafos da Família “Vicente”:

 
•  Vicente Gomes da Silva, Sénior, n.1827 – m.1906
    Exerceu a sua atividade comercial entre 1848 e 1906
 
•  Vicente Gomes da Silva, Júnior, n.1857 – m.1933
    Exerceu a sua atividade comercial entre 1875 e 1933
 
•  Vicente Ângelo Gomes da Silva, n.1881 – m.1954
    Exerceu a sua atividade comercial entre 1918 e 1954
 
•  Vicente Bettencourt Gomes da Silva, n.1902 – m.1960
    Exerceu a sua atividade comercial entre 1930 e 1960
 
•  Jorge Bettencourt Gomes da Silva, n.1913 – m.2008
    Exerceu a sua atividade comercial entre 1933 e 1979
 
Em 1972, o espólio da Photographia Vicente é vendido a uma entidade privada.
A 13 de junho de 1979, o Governo Regional da Madeira adquire todo o acervo do “studio Vicente”, que inclui cenários, máquinas fotográficas, mobiliário de atelier e 400 mil negativos, a maior parte em “chapa de vidro”, devidamente catalogados em 47 livros, datados entre 1884 e 1978, e onde se registou todo o trabalho realizado pelas Quatro Gerações dos “Vicentes”.

A 22 de março de 1982, o “studio Vicente” abre ao público como Museu, passando a designar-se – Photographia – Museu “Vicentes”.

O imóvel onde está instalada a Photographia – Museu “Vicentes” foi classificado como património de “valor cultural regional” pela Resolução n.º 78/91 de 24 de janeiro, com conversão efetuada pela Portaria n.º 34/2004 de 1 de março, de “imóvel de interesse público”.

Desde a abertura ao público, em março de 1982, que a Photographia – Museu “Vicentes” tem recebido doações, nomeadamente, de máquinas fotográficas, antigos álbuns fotográficos, molduras com fotos, livros e catálogos de material fotográfico, filmes com documentários para Cinema, que veem a serem integrados no acervo do Museu.


Atualmente, o Museu possui cerca de 800 mil negativos, provenientes não só da coleção Vicente, como também de outros fotógrafos profissionais e amadores: João António Bianchi (Visconde Vale Paraíso) (1862–1928); Major Charles Courtnay Shaw (1878–1971); Gino Romoli (1906–1982); Aluízio César Bettencourt (1838-?) ou João Francisco Camacho (1833-1898) (em estudo a autoria das imagens); Perestrellos Photographos; Augusto João Soares; Francisco João Barreto (?-1934); Álvaro Crawford Nascimento Figueira (1885–1967); Alexander Lamont Henderson (1838–1907); Joaquim Augusto de Sousa (1853–1905); João Anacleto Rodrigues (1869–1948); Foto Figueiras; Foto Arte; Foto Joaquim Figueira; Russel Manners Gordon (3.º Visconde e 1.º Conde Torre Bela) (1829–1906); Artur Campos; Carlos Fotógrafo; Alberto Camacho Brandão (1884–1945); Foto Sol (de 1951 a 1980).

Em 2000, foi depositado no Museu o material audiovisual da Direção Regional do Turismo/Secretaria Regional do Turismo e Transportes, coleção que inclui filmes – documentários – da autoria de: Helder Mendes, João Pestana, António de Sousa, Luís Cabrita, entre outros.


Atualmente o acervo da Photographia – Museu “Vicentes” inclui Fotografia e Cinema.
 

A Photographia – Museu “Vicentes” não possui serviços educativos, mas realiza visitas guiadas a escolas com marcação prévia.

O museu possui pequena loja.

Destaques

Get Adobe Flash player Install latest flash player if you can't see this gallery, or click here to see the html version.

Notícias

 

Conteúdos: Direção Regional da Cultura

 
 
Secretaria Regional do Turismo e Cultura / Direção Regional da Cultura